Diferenças entre o programa Mais Educação e Mais tempo na Escola: estudo de caso.

 Elandia Aparecida Pereira (Especialista em Educação Ambiental)

O Programa Mais Educação, foi a bandeira do Governo Federal para melhorar a qualidade do ensino no Brasil, passou a ser executado efetivamente em dois mil e oito, selecionando escolas que tinham baixo IDEB (Índice de Desenvolvimento das Escolas Brasileiras). Este Programa visa inserir a ampliação da jornada escolar sob o ponto de vista da Educação Integral, e chegou a municípios de diversos estados brasileiros como um pacote pronto para se encaixar na realidade do município, da escola, da comunidade e dos alunos, no intuito de “sensibilizar, incentivar e apoiar, projetos ou ações de articulação de políticas sociais e implementação de ações sócio-educativas oferecidas gratuitamente a crianças, adolescentes e jovens, a partir de uma sequência de orientações do MEC.”

Já a experiência desenvolvida pela SEDU – ES, por meio do Programa Mais tempo na Escola, partiu de um projeto piloto no ano de dois mil e seis que foi desenvolvido por sessenta escolas em oito municípios do ES, com resultados evidentes em vários aspectos como a melhora na aprendizagem e no aumento do IDEB. Nos quatro anos a seguir o Programa foi sendo paulatinamente implementado pelas escolas estaduais, e as experiências e resultados apresentados e amplamente discutidos em seminários da rede estadual, convergindo em uma adesão de quatrocentos e trinta e quatro escolas, êxito que tem sua culminância na efetiva articulação de todos os sujeitos da comunidade escolar alinhados com os investimentos do poder público estadual que foi sendo sensibilizado pelos resultados obtidos a cada ano. Só a partir de dois mil e nove é que a SEDU passou a receber apoio do Programa Mais Educação, e a partir do diálogo com o MEC, manteve as “diretrizes básicas do PMTE estadual, principalmente no que se refere aos profissionais professores habilitados e ao desempenho pedagógico do Programa de forma a garantir a dimensão da aprendizagem curricular dialogando com os macro campos definidos pelo Programa Federal”. (MEC, 2009)

É a partir desse diálogo com o MEC que as diferenças entre os dois programas aparecem. A SEDU criou o programa ‘Mais Tempo na Escola’ com o objetivo de melhorar a qualidade de ensino a partir da ampliação do tempo que o estudante fica em contato com os professores numa perspectiva de enriquecimento curricular que contemplem a diversidade na formação humana. Estes programas têm objetivos comuns como por exemplo “a conquista efetiva da escolaridade dos estudantes através da ampliação das experiências educadoras, as praticas realizadas além do horário escolar precisam estar sintonizadas com o currículo e os desafios acadêmicos.”

A diferença entre os dois programas é a forma como eles são aplicados, enquanto o Programa Mais Educação atende, prioritariamente, escolas de baixo IDEB, situadas em capitais, regiões metropolitanas e territórios marcados por situações de vulnerabilidade social, que requerem a convergência prioritária de políticas públicas. O Programa Mais tempo na Escola foi sendo ampliando gradativamente, se reavaliando a cada ano, visando construir uma nova escola, priorizando o aluno, e a melhora do desempenho escolar bem como a ampliação do universo de experiências socioculturais, esportivas e de iniciação científica.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: