O blog educação integral em tempo integral como uma ferramenta de construção do conhecimento favorável à universalização da educação.

Após um período de inatividade, devido, principalmente, aos problemas que afetam o cotidiano de um professor (excesso de atividades docentes, formação continuada, concursos públicos, entre outros) retornamos nossas atividades no blog. Dessa vez, acrescentamos mais uma temática ao debate, a oferta do direito à educação. Acreditamos que as discussões sobre esse tema possam contribuir e receber contribuições  daquele da educação integral em tempo integral. A defesa da oferta universal do direito à educação, isto é, de acordo com o interesse daqueles que frequentam e fazem uso da escola pública, deve estar associada às discussões sobre a ampliação da jornada escolar por meio da educação integral.

É com essa premissa que defenderemos nesse post que esse blog sobre a educação integral em tempo integral pode vir a ser uma ferramenta que contribua com universalização da oferta do direito à educação, entendida aqui como o acesso universal à escola pública de qualidade, isto significa: professores funcionários de apoio concursados e com remuneração compatível com a sua responsabilidades, formação continuada para professores e funcionários, escolas bem equipadas e adequadas a difícil realidade econômica das classes populares, conteúdo escolar adequado aos interesses e necessidades imediatas dessas classes e uma real igualdade de oportunidades.

Alguns são os motivos que nos fazem defender isso:

1)   As discussões sobre o tema da educação integral em tempo integral, ao mesmo tempo em que destacam os aspectos pedagógicos e estratégias didáticas, também podem evidenciar como os problemas relativos à oferta do direito à educação no Brasil possuem interferência nesse processo, fazendo com que a escola pública contribua de modo favorável com o atual quadro de desigualdade social.

2) O debate sobre a ampliação da jornada escolar, coloca em relevo a seguinte questão: qual a escola pública que pretendemos ampliar? Aquela da reprovação, do desinteresse, das dificuldades de funcionamento ou aquela que contribui, em alguns casos, especialmente devido à experiências pontuais, para que os indivíduos possam progredir nas fileiras educacionais com uma formação adequada?

3) Os diferentes modos de construção do conhecimento na escola, por meio de diferentes tipos e conteúdos, uma educação integral, contribuem com o questionamento sobre aquilo que é definido arbitrariamente, tanto na legislação, quanto pela hierarquização das disciplinas escolares, como o saber que confere legitimidade à escola.

4) A ampliação do tempo de permanência do aluno na escola por meio da educação integral coloca em relevo e problematiza o reduzido tempo de permanência do professor nas escolas públicas. Em geral a necessidade de complementação da renda faz com que esse importante servidor público tenha que se dividir em mais de um emprego, trabalhando, por consequência disso, em diferentes instituições de ensino.

5) A ampliação da jornada escolar por meio da educação integral coloca em questão, até que ponto o recurso da utilização de espaços fora da escola e do trabalho de voluntários (amigos da escola, “oficineiros”, educadores comunitários, entre outros) não está sendo utilizado pelas políticas educacionais como uma forma de minimizar os problemas de funcionamento e a precarização do trabalho docente, em vez de servir como um alternativa que tenha como finalidade a universalização da oferta do direito à educação.

Poderíamos enumerar outros motivos, no entanto, acreditamos que esse exercício também pode ser realizado pelos leitores desse blog.

O que queremos destacar, portanto, é que as discussões que estamos realizando no blog devem ser usadas como uma ferramenta favorável ampliação do direito à educação. Por isso estamos disponibilizando na seção “Mensagem informativa” os novos caminhos adotados pelo blog e na seção “Regras para envio de textos” a formatação das contribuições que serão enviadas.

No próximo texto, articularemos as ideias de Florestan Fernandes sobre a educação pública à temática da educação integral em tempo integral.

2 respostas para O blog educação integral em tempo integral como uma ferramenta de construção do conhecimento favorável à universalização da educação.

  1. Laurinda de Miranda Barbosa disse:

    Vejo a imortancia de destacar que uma educaçao integral exige um planejamento integrado da escola. E uma educaçao para todas as crianças e jovens brasileiras.

  2. Bruno, sei que você fez renascer o blog. Queremos ajudar a colocá-lo no ar. Os textos precisam ser assinados e datados. Estou criando uma págininha do GESTE (geste.com.br) e gostaríamos que o blog atendesse tanto ao Neephi como ao geste. Você sabe fazer isto? Aguardo notícias, Lúcia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: